terça-feira, 28 de abril de 2009

Eu te amo!


Nessa tarde de terça-feira estava reunido com algumas jovens da comunidade e conversávamos sobre o modo de expressão. Uma dessas beldades lançou-me uma pergunta à qual nunca havia parado para pensar:
Por que o norte americano diz o tempo todo “I Love you” e os outros povos não?
Eu analisei durante a conversação e tirei a seguinte conclusão:
“Em minha opinião não só o povo norte-americano como todos que falam a língua inglesa dizem “I Love you” em quaisquer circunstâncias, mas dependendo da ocasião a frase poderia ser entendida simplesmente como “Eu gosto de você”
Não sei dizer se nos demais países de língua portuguesa são assim, preciso confirmar com os muito amigos que tenho nesses lugares, mas aqui no Brasil, quando se fala “Eu te amo” a pessoa praticamente assume uma posição séria perante a outra, não falamos essa frase de modo banal. E sempre ela é proferida de coração.
Melhor explicando: É quase impossível uma pessoa dizer “Eu te amo” de modo sério a outra se isso não configurar a verdade, principalmente se a conversa for pessoal.
Essa é uma das peculiaridades da nossa língua que eu admiro, temos uma frase sagrada. A outra que eu gosto muito e só nós lusófonos possuímos é a palavra “Saudade” reconhecida como única a desvendar esse sentimento no mundo.
Não sei com certeza se minha opinião tem veracidade plena, mas é assim que eu ajo. Quando digo para alguém “Eu te amo” é com muita sinceridade e não teria como a frase ser substituída de forma nenhuma simplesmente por “Eu gosto de você” ou coisa semelhante.
Espero que os demais lusófonos deixem suas impressões em forma de comentário para notarmos se há semelhança nos tratamentos. Principalmente os grandes poetas que por aqui passam deixando maravilhosas provas de conhecimento da linguagem do coração.

4 comentários:

Blog da Pri disse...

Regis Copperfield, eu preciso da sua ajuda
Também participo da Comunidade ADV e atualmente posso fazer muita coisa para ajudar, mas queria que você me desse uma força.
Sou sua fã e sigo seus blogs diariamente e já te enviei muitas mensagens, mas quero saber como poderei ajudar neste blog.
Eu me inscrevi apenas para segui-lo mais facilmente, como me instruiu a Belinha, mas sei que existe mais a fazer.
Sei que você anda muito ocupado com sua novela e nem tem podido ficar na net nem no yogurt. Mas se me der uma chance não vou decepcioná-lo.
Eu tentei comprar o livro, mas está em falta no sitio da comunidade.
Escrevi mais no meu blog.
Eu te gosto muito.
Beijos.

Bela Au pair disse...

Oi Regis,

Eu sempre pensei que eu tinha algum problema por nao conseguir pronunciar " eu te amo" aos quatro ventos sempre que me desse vontade. Como vc disse, para mim eh algo sagrado e secreto. Falo para meus pais e meus irmaos com facilidade, mas qdo se trata de terceiros eh mais complicado!!

Me sinto vitoriosa por conseguir dizer I love u para meu namorado... mas o nosso eu te amo, ainda estar por vir..!!

bjs

cristinasiqueira disse...

Oi,

Falar de amor sempre é muito bom .
Amor ,palavra de dizer profundo,não é sazon
tempero de comidas sem gosto.Amar é o que a Querida Querubim enovela no blogue Cristina Siqueira.Agradeço sua visita e tê-lo como seguidor.
Beijos,

Cris

rouxinol de Bernardim disse...

Caro Regis:

As palavras devem ser usadas com moderação. O «eu te amo» é tão sublime que deve ser usado só no momento certo, sob pena de caír na banalização!...